Liga Brasileira de Free Fire

Durante um evento realizado nesta sexta-feira, 24, fechado para convidados do cenário e veículos de imprensa, a Garena anunciou diversas novidades para o cenário brasileiro de Free Fire agora em 2020. Entre as principais novidades estão o anúncio da LBFF – Liga Brasileira de Free Fire e a nova casa do Free Fire no país – que segundo a Garena, é o maior estúdio da América Latina.

LBFF – Liga Brasileira de Free Fire

Iniciando no dia 1° de fevereiro, a Liga Brasileira de Free Fire (LBFF) substituirá a Free Fire Pro League (FFPL). O campeonato será divido em três divisões, com três etapas acontecendo ao redor do ano, ou seja, ao longo das etapas, times serão promovidos e rebaixados conforme o seu desempenho nas suas determinadas divisões. Existirá também um grupo de acesso específico, formado por equipes que brigarão por uma vaga na Série A – que comportará 12 times.

É importante ressaltar que a etapa de abertura não contará com Série B, dado que a mesma será formada com base nos resultados finais da primeira etapa. Isso quer dizer que, ao longo da primeira etapa, teremos disputas apenas na Série A e na Série C.

Formada pelos 12 melhores times do país, a Série A é a principal divisão da liga. O primeiro título será disputado por Corinthians, LOUD, Team Liquid, Black Dragons, RED Canids, FURIA, INTZ, Prodigy, SKS, B4, paiN Gaming e Vivo Keyd.

Logo – ainda em construção – da Liga Brasileira de Free Fire (LBFF)

Divisão mais baixa, a Série C será formada por centenas de times de todos os lugares do país. Divididos em um único ranking, esses times passarão por uma série de qualificatórios e eliminatórias, até que sobrem apenas oito – que serão promovidos diretamente para a Série A.

Terminada a primeira etapa da Série C, os times que ficarem entre a 9ª e 42ª posição serão promovidos para a Série B, onde irão se juntar aos dois últimos colocados da Série A, que são automaticamente rebaixados.

Ao final de tudo, a Série A será composta por 18 equipes e a Série B por 36.

Tudo novo na 2ª temporada

Para a segunda temporada, a dinâmica de promoção e rebaixamento sofrerá alterações.

Serão rebaixados para a Série B os times que terminarem a Série A nas duas últimas colocações – 17° e 18° lugar -, enquanto os 12 melhores colocados disputarão a final – com suas devidas pontuações zeradas.

Os dois últimos colocados da final se juntarão aos times que terminaram a primeira fase da Série A entre a 13ª e 16ª posição e vão em direção ao Grupo de Acesso, que receberá também os times da Série B que ficaram entre o 3° e 8° lugar na tabela – os dois primeiros colocados avançam direto para a Série A, ocupando assim as vagas dos times rebaixados.

Isso quer dizer que o Grupo de Acesso será formado por 12 times, sendo seis da Série A e outros seis da Série B. Desses times, apenas seis conseguirão uma vaga na elite, enquanto outros seis seguirão na segunda divisão – que receberá também as 12 melhores equipes da Série C, enquanto 12 times da Série B serão rebaixados.

Confira o vídeo narrado pela Ana Xisdê para entender melhor a dinâmica do cenário competitivo brasileiro de Free Fire em 2020:

Para se aproximar ainda mais do público, a Garena contará com redes sociais exclusivas para que os fãs acompanhem tudo do cenário competitivo de Free Fire. Fique ligado no Instagram, Twitter e Facebook.

De casa nova

Durante o evento, a Garena apresentou a nova casa do Free Fire no Brasil. Trata-se do Estúdio 1, no interior do complexo dos Estúdio Quanta, em São Paulo. O espaço mede mais de 1.200m², sendo 500m² deles dedicados à área de produção, além de sala de imprensa e criação de conteúdo.

BOOYAH!

Por fim, porém não menos importante, a Garena também anunciou o seu novo aplicativo voltado para criação de conteúdo relacionado ao Free Fire, o “BOOYAH!”. Disponível para dispositivos móveis (na Google Play Store e na Apple App Store) e via web, o aplicativo reúne uma série de ferramentas para que os jogadores criem, descubram e compartilhem transmissões ao vivo e vídeos de Free Fire, além de interagir com amigos e outros membros da comunidade.

Também será possível assistir aos jogos da LBFF através do aplicativo, que no futuro distribuirá uma série de recompensas dentro do jogo, fiquem ligados!

Gostaram das novidades? Então se prepara pois a Liga Brasileira de Free Fire começa no próximo dia 1° de fevereiro, com transmissão ao vivo nos canais oficiais da Garena. BOOYAH!