Liga Brasileira de Free Fire

A estreia da Liga Brasileira de Free Fire (LBFF) no último final de semana marcou o início da temporada para os principais times do servidor brasileiro, entre eles, a Team Liquid, que contratou a equipe ex-B8 para defender o escudo da organização em solo nacional.

A equipe formada por Peu, JapaBKR, Raposo, Lukas.TD e LUUUKING estreou na competição acumulando 230 pontos ao final da última rodada, assumindo assim a terceira colocação, atrás apenas da RED Canids, com 231 pontos, e da LOUD, líder do campeonato com 283 pontos.

Trio da Liquid em ação na Liga Brasileira (Foto: César Galeão/Garena)

Matheus Souto, técnico da Liquid, conversou com o site da LBFF e deu o seu parecer sobre o que foi apresentado pelos times nas duas rodadas de estreia do campeonato.

“O desempenho dos times na estreia da LBFF ainda não pode ser um parâmetro para o que será apresentado no decorrer da competição. O torneio é longo, o sistema de pontuação mudou e ainda estamos nos adaptando a tudo isso. Muitos times que entraram na competição com uma determinada estratégia vão acabar indo por outros caminhos nas próximas rodadas”, analisou.

Mesmo que a LOUD tenha “disparado” na tabela após uma apresentação de destaque no final de semana – a equipe gritou BOOYAH em cinco das 12 quedas -, Matheus acredita que o nível da competição está muito parecido e que nenhum time está muito à frente dos demais.

“O campeonato está bem parelho, todos os times que estão na competição carregam o mérito de terem se classificado para a final da última Pro League. Todo mundo tem serviço para mostrar, ainda tem muito jogo pela frente e a tabela pode virar de cabeça para baixo”, comentou.

“A LOUD tem um time muito bom, com jogadores experientes [em presenciais], entrosados e que estão mostrando o resultado de um trabalho feito a longo prazo. Eles não foram bem no Mundial, fizeram uma boa apresentação na Copa América e agora estão mostrando serviço na LBFF”, completou.

Ao final da entrevista, quando questionado sobre o desempenho da Liquid nas primeiras rodadas, Matheus avaliou a sua equipe de forma positiva, mas sem deixar de citar os erros, batendo na tecla de trabalho contínuo.

“Bom, tivemos um final de semana bom, regular, mas com toda certeza posso afirmar que não foi como a gente esperava. Tiveram muitos erros que prejudicaram a gente, muita coisa que precisamos revisar e trabalhar para não errarmos novamente. Evolução é constante e seguiremos trabalhando duro semana após semana”, concluiu.

Jogadores da Liquid conversando com o psicólogo da equipe, Claudio Godoi (Foto: César Galeão/Garena)